BIGtheme.net http://bigtheme.net/ecommerce/opencart OpenCart Templates

5 Grandes mentiras sobre Teste de Software

Como em quase todas as áreas de atuação, o mercado de teste de software é rodeado por mitos quanto a esta atividade. Decidimos listar, então, algumas das mentiras mais ditas sobre testes. Afinal, quem é que nunca foi vítima desses enganos?

 

1- Teste de software não exige muito intelectualmente

Se você apenas repete ações predefinidas, teste realmente pode não exigir muito do testador nesse aspecto. Mas é importante pensar em testes como uma forma de explorar, coletar informações e encontrar respostas a coisas que ainda não foram questionadas. E para alcançar esse nível de detalhamento é preciso pensar, observar, analisar e usar tudo o que o seu intelecto tem a oferecer.

2- Testadores apenas reclamam

Testadores apenas veem o lado negativo e reclamam de tudo a respeito do software? Não é necessariamente verdade. Se têm pensamento positivo ou negativo com relação à aplicação que estão testando, não importa. A questão é que são sim os melhores pensadores. São os que mais refletem a respeito do que lhes é proposto. E eles não reclamam, eles apresentam a realidade. Com direito a evidências de tudo que encontram.

3- Teste não atribui valor

Impedir que um sistema perca valor ao chegar às mãos do usuário com falhas cruciais ao seu funcionamento não é um trabalho limitado a apenas custos. O bom testador precisa conhecer o software como ninguém e ter alguém demonstrando esse conhecimento e assegurando maior qualidade no produto final é algo que acrescenta valor.

4- A Automação vai tomar o lugar dos testadores

Essa é uma das maiores mentiras que vemos por aí. Testes automatizados só funcionam quando são guiados por regras estabelecidas por humanos. Por si só, a automação não conseguiria ir tão longe. Outro ponto é considerar para quem são feitos os software: pessoas. Pessoas que pensam, têm emoções e curiosidade. E é por isso que os testes também precisam ser feitos por pessoas, acima de tudo e, logo, os testes manuais nunca vão deixar de existir.

5- Desenvolvedores e testadores não são amigos

Se desenvolvedores e testers não trabalharem em parceria, o projeto sairá prejudicado. Como já foi dito, o testadores não têm o objetivo de criticar uma aplicação, mas sim de apresentar a sua realidade e, com isso, contribuir para a qualidade do produto. Eles, por sua vez, farão uso de todas as informações fornecidas pelos desenvolvedores para que surjam ideias no momento dos testes. Se todos tiverem o mesmo propósito de garantir qualidade ao software, a chance de sucesso será infinitamente maior.

Que outras mentiras sobre a área você ouve por aí? Conta pra gente e ajude a mostrar o teste de software como ele realmente é!

 

Fonte: http://crowdtest.me/mentiras-teste-de-software/

About Luiz Lohn

Avatar
Luiz Lohn trabalha como QA Engineer em uma multinacional, além de realizar palestras e consultorias em empresas. Atua como um dos coordenadores do GUTS-SC (Grupo de usuário de teste de software), membro ativo na comunidade de qualidade e teste de software, ministra palestras e cursos. Especializando-se em segurança web e mobile.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

Page Reader Press Enter to Read Page Content Out Loud Press Enter to Pause or Restart Reading Page Content Out Loud Press Enter to Stop Reading Page Content Out Loud Screen Reader Support