BIGtheme.net http://bigtheme.net/ecommerce/opencart OpenCart Templates

Como medir a qualidade do produto?

Quando iniciamos na gestão da qualidade do software um dos maiores desafios é metrificar a qualidade do produto desenvolvido! Realizando uma pesquisa cheguei a conclusão que maior parte das métricas que temos são atreladas a bugs: Quanto custa um bug, quantos bugs abertos X quantos bugs fechados………. e assim vai!

Mas como está a qualidade do produto, afinal bug é apenas uma parte que impacta na qualidade do produto, qualidade não é somente se existe bugs abertos ou não!

O que é então qualidade do produto?

A norma internacional ISO/IEC, define QUALIDADE DE SOFTWARE, como “A totalidade de características de um produto de software que lhe confere a capacidade de satisfazer necessidade explícitas e implícitas.

O que são Necessidades Explícitas e Implícitas?

 

Com isto gostaria de saber de você que está lendo este post como você faz para metrificar a Qualidade do Produto? Comente neste post!

No próximo post irei mostrar como estou iniciando a metrificação da qualidade do produto

About Luiz Lohn

Avatar
Luiz Lohn trabalha como QA Engineer em uma multinacional, além de realizar palestras e consultorias em empresas. Atua como um dos coordenadores do GUTS-SC (Grupo de usuário de teste de software), membro ativo na comunidade de qualidade e teste de software, ministra palestras e cursos. Especializando-se em segurança web e mobile.

3 comentarios

  1. Avatar

    Trabalho muito por criticidade (Alta, Media e baixa) ou seja Bug aberto + Criticidade. Na minha opinião as medidas de qualidade e obtida dependendo no nível de criticidade +bug aberto.

  2. Avatar

    A qualidade do produto só pode ser aferida, na prática, pelo usuário final. Como gestores, podemos levantar aspectos que influenciam diretamente na qualidade do produto, como:

    – Cobertura de Testes Manuais e Automatizados (%)
    – Análise da qualidade do código (Sonar)
    – Análise da Segurança da aplicaçao (HP Fortify)
    – Integração Contínua (Jenkins)
    – Gestão de defeitos

    Em cima destas práticas, é possível desenvolver níveis de qualidade, por exemplo, de 1 a 5, de acordo com a adoção de determinada prática no sistema em desenvolvimento.

  3. Avatar

    Trabalho com um software hospitalar, e medimos a qualidade do software seguindo duas premissas: interna e externa.
    Internamente: Com o sonar, analisamos a complexidade ciclomática do código. E vemos o quão bom escrito ele está/ Quantidade e criticidade de erros encontrados durante os testes (funcionais).
    Externamente: Avaliamos o grau de satisfação do usuário final em determinada release.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

Page Reader Press Enter to Read Page Content Out Loud Press Enter to Pause or Restart Reading Page Content Out Loud Press Enter to Stop Reading Page Content Out Loud Screen Reader Support